relacionamento@youcare.com.br
Newsletter
Inscreva-se para Cadastros do Site
* = campo obrigatório

powered by MailChimp!
Blog

4 Abr, 2016

Startups podem ser referência para empresas já consolidadas se reinventarem

 

A You Care vem acompanhando o movimento startup em saúde há algum tempo e muito tem se inspirado pelo pensamento empreendedor das novas empresas. O uso cada vez maior de novas tecnologias para engajamento e monitoramento de pacientes, por exemplo, já é uma realidade em países norte americanos europeus.

O Brasil vem se movimentando neste aspecto e muitas soluções simples e eficazes vem surgindo para melhorar o dia a dia das empresas e das pessoas.

Para aprofundarmos um pouco mais neste assunto, entrevistamos Fernando Cembranelli, CEO da Berrini Ventures, a primeira aceleradora de saúde no Brasil. Ele esteve recentemente na HIMSS, evento internacional de novas tecnologias para melhorar e otimizar resultados em saúde. Cembranelli nos falou sobre as movimentações do Brasil neste sentido e qual caminho devem tomar os empreendedores em saúde:

 

YC: Muito tem se falado da internet das coisas e como isto vem se inserindo na área da saúde. Fazendo um paralelo entre o que viu no HIMSS 2016, a maior feira internacional de tecnologias em saúde e o que está sendo desenvolvido no Brasil, você diria que estamos no caminho certo?

Cembranelli: Eu diria, que no Brasil, estamos caminhando lentamente para o caminho certo. O mundo da saúde tem se tornado intrinsecamente cada vez mais tecnológico e a internet das coisas é uma das mega tendências na saúde. Infelizmente, não temos visto no Brasil, o mesmo desenvolvimento de IoT, como em outros mercados, mas isto não muda o fato básico, que é inevitável que o mundo está se tornando cada vez mais conectado.

YC: Temas como, personalização da medicina, big data, data analytics, computação cognitiva, entre outros são as discussões atuais para a tecnologia em saúde, mas um tema é o mais discutido mundialmente, que é: o desafio de engajamento do paciente na adesão de seu tratamento. E não somente em relação a tomar seus medicamentos, mas também de ir ao médico e fazer seus exames regularmente, compreender seu problema de saúde e o que a falta do tratamento pode lhe trazer. Como a aceleradora Berrini Ventures vê esta preocupação e quais soluções destacariam neste sentido?

Cembranelli: O tema do engajamento do paciente é a nova pedra filosofal na saúde, fazer uso do big data, a fim de entender como engajar mais um paciente em seu tratamento, é somente uma das possibilidades vislumbradas neste oceano de analytics.

Em termos de solução, existem diversos aplicativos que enfrentam este problema, como o Dr. Cuco ou empresas de acesso e adesão como Integra Medical e Azimute. Contudo, as soluções existentes hoje são absolutamente insuficientes para uma população que envelhece tão rapidamente quanto à brasileira.

YC: Qual sua percepção sobre a adesão de novas tecnologias nos EUA, Europa e no Brasil, na visão das instituições de saúde (hospitais e operadoras) e dos pacientes? Há alguma diferença cultural que ajude ou atrapalhe esta mudança de comportamento?

Cembranelli: No Brasil, as novas tecnologias, em especial as digitais, são adotadas muito mais lentamente, do que em outros mercados. Um fator fundamental para isto acontecer é que aqui os prestadores são remunerados por fee for service, enquanto o mercado norte-americano está migrando para o fee for value, ou cobrança por valor.

Outra grande diferença para a incorporação de novas tecnologias é que o gasto per capita no Brasil ainda é baixo, o que dificulta a incorporação de tecnologias de alto valor agregado, quando se foca apenas no custo incremental desta tecnologia e não numa análise mais ampla de custo benefício.

YC: Seguindo ainda os principais temas discutidos na HIMSS, o que mais destacaria como inovação, que hoje ainda não é realizado no Brasil e que pode vir a se tornar uma oportunidade para os empreendedores formarem novas startups?

Cembranelli: A telemedicina é certamente um setor com enorme potencial de crescimento no Brasil e que poderá crescer exponencialmente, assim que for regulamentada no Brasil. Ao ver enormes empresas deste setor no mercado norte-americano fica claro que estamos deixando para trás uma enorme oportunidade para o Brasil,  sendo que Telemedicina  poderia ajudar consideravelmente no atendimento médico em áreas remotas.

YC: Poderia dar algumas dicas para quem quer começar uma startup de saúde e ainda tem dúvidas sobre como deve fazer?

Cembranelli: Dada a realidade do Brasil, a principal dica para os empreendedores de saúde é aprender a trabalhar mais em rede e usar esta rede para dar suporte a projetos disruptivos em saúde, pois é extremamente desafiador lançar projetos inovadores em saúde em qualquer mercado, em especial no Brasil.

A Berrini Ventures tem buscado conectar empreendedores, executivos e inovadores em saúde através de diversas mídias sociais e estas redes têm gerado grandes oportunidades e aprendizado para todos os envolvidos, o que nos tem levado a fomentar a criação destas redes em outros grupos que querem fortalecer o empreendedorismo e a inovação em saúde.

YC: Pensando na atuação da You Care no mercado da saúde como acredita que poderíamos ajudar  o mercado de empreendedorismo e inovação?

Cembranelli: A You Care domina o conhecimento sobre marketing em saúde, além de ter como clientes grandes players da saúde brasileira. Ao disponibilizar parte de seu tempo e recursos para apoiar projetos inovadores em saúde, a You Care já está apoiando o ecosistema de empreendedorismo e inovação em saúde no Brasil.

CEMBRANELIFernando Cembranelli, MD MBA

Médico formado pela UNIFESP, com residência em Administração Hospitalar e de       Sistemas de Saúde pelo PROAHSA (USP/FGV), com MBA full-time pela Duke University e Summer Job no setor de Farmacoeconomia da Janssen Medical (Johnson&Johnson). Já atuou como Gerente Médico da BenCorp, empresa Endeavor no setor de saúde corporativa e gestão de Benefícios, Assistente Técnico no Instituto de Radiologia do Hospital das Clínicas e mais recentemente como Gerente do Centro de Inovação dos Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP  e CEO da Berrini Ventures.

 

SOBRE A BERRINI VENTURES

Aceleradora de Startups dedicada a trabalhar o momento crucial no desenvolvimento das empresas: o ganho de mercado.

Buscam integrar nossas startups a um ambiente de negócios, relacionamentos e aceleração contínua, para solucionar os grandes desafios do sistema de saúde.

Saiba mais em www.berriniventures.com

  • 4 Abr, 2016
  • 1 Tags
  • 0 Comentários
COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *